segunda-feira, 4 de agosto de 2008

espinhos sem rosas por Camila Bernardini




Poesia: Espinhos sem


AH! Tormento que eu não posso confessar


O que eu escrevo é a verdade, eu não minto


.Eu declaro tudo aquilo que eu sinto


Mesmo sabendo que agora é outra que seus lábios vão beijar


Sei que quanto, mas verdade tem no escrito


Mais distante eu te ponho dos meus braços


Pois desenho o paralelo de dois traços


Que na certa vão perder-se no infinito


Se esse amor aos poucos me modifica


Me transforma, me edifica


Não entendo como em seu coração


Ele não alcança, não habita


Tantas verdades se perdem no caminho


Noites em claro que fico acordada


Onde não vejo rosas só espinhos


E a dor de não me sentir amada


Enquanto outra dorme em seu lado


Eu pálida, bêbada, tremo


E me afogo e me sufoco


Entre loucura e paixão


Tento discernir o que é certo do que é errado


E sempre o sentimento de culpada


Em quanto você caminha sempre cego


Me ferindo com a lança de sua espada


Vejo no céu a lua prateada


As estrelas que ainda brilham


Peço com a voz rouca, entrecortada


Que me iluminem e me guiem


Peço nas noites para não ouvir sua voz


Nem que seu perfume venha se espalhar


E tenho medo de fechar os olhos


E ver que seu rosto ainda esta lá


Mas á mim você não pertence


Então a deixo te levar


Enquanto do meu rosto cai o pranto


Que por sua culpa está á brotar

4 comentários:

carlos disse...

prefiro ler suas do que comentar. são profundas e....

Malina disse...

Belíssima poesia Mila, mas que tristeza é essa??

Adriano Siqueira disse...

Poesia mesmo.. as combinações com as palavras estão otimas e bem colocadas .. passa-se bem a mensagem de angustia e e sofrimento. Certamente um exemplopara os que desejam ver um ttexto assim.
parabens.
Dri

Denny Guinevere Du Coudray disse...

Este é o sentimento que nasceu de mim num dia triste... Cada palavra me faz extremesser por ver o sofrimento contido, algo do qual eu passei... Um dia perdi um amor do qual nunca me pertenceu e senti com meu sangue o mal que fiz a mim mesma, sou um ser desumano e nao mereço tanta bondade de um ser humano amando-me reciprocamente.. Estou acorrentada a solidao eminente... Parabens Mila1 Vc tem grande talento!