quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Beijos de deusa - por Adriano Siqueira


Finalmente Mara iria se casar. Somos amigos desde criança e sempre tivemos muito afeto um pelo outro. Flertamos algumas vezes na adolescência e eu sempre a admirei mesmo sabendo que iriamos seguir caminhos diferentes. Eu conheço o futuro marido dela. Sempre estava ao seu lado. Eram o casal do ano e eles gostavam de mim. Tanto que eles me convidaram para ser o padrinho e isso foi uma grande honra. Não tinha como não aceitar.

Fiquei no carro esperando Mara sair de casa para leva-la até a igreja.

Finalmente ela apareceu na porta. Estava xingando um pouco por ter que segurar o vestido de noiva com as mãos e tentar fechar a porta ao mesmo tempo. Era uma cena engraçada. Não pude deixar de rir.

- Ao invés de rir poderia me ajudar né?

- Desculpe Mara mas você parece muito nervosa.

- É claro é minha primeira vez. E eu quero dirigir.

- Está bem! assim você relaxa um pouco.

Quando sentamos no carro ela ligou o motor para partir. Chegariamos na igreja em trinta minutos.

Conversamos um pouco e rimos da ocasião. Mara parecia mais tranquila.

- Sabe Carlos. Sei que estou fazendo o certo mas até ontem eu ainda estava na dúvida. Queria sair correndo disso tudo.

- Sei como é... Ter alguém pra vida toda é muito tempo. deve mesmo pensar sobre isso é normal.

Mara olha para mim mas eu disfarço um pouco e depois ela continua a olhar para a estrada.

- Carlos! segura o volante para mim enquanto eu olho a minha maquiagem no retrovisor. é rapidinho.

- Claro.

Quando eu seguro o volante ela pega uma algema que estava escondida em sua roupa e prende a minha mão no volante.

Antes que eu pudesse entender o que fazia, ela se aproxima e me diz algo que me fez gelar.

- É você que eu quero.

Mara pega outra algema e também se prende ao volante.

- A minha vida inteira eu quis ficar com você. Só agora eu percebi que posso. Nem que seja no interno mas vamos terminar juntos.

- Mara? você está bem? o que pretende?

- Estamos indo para o lago. lembra do nosso primeiro beijo? nossa jura de amor eterno?

- Mara pare o carro isso nao é engraçado.

Ela começa a rir e diz.

- Agora vamos ser felizes para sempre.

Mara acelera o carro. Meu coração quase sai pela boca. Não consigo raciocinar.... E antes que eu disesse algo o carro salta pena colina e cai no Lago o impacto com a água foi terrivel. Ela perdeu os sentidos e a água entrava pela janela.

Foi quando eu vi um vulto passar na água.

Não era um tubarão.. mas se movia muito rápido.

Estavamos afogando quando eu vi a porta ser arrancada e a algema da Mara ser quebrada apenas com um puxão. Eu grito o nome dela mas de nada adianta... Agora eu estava sozinho. Meu fim estava próximo quando o vulto aparece bem no para-brisas.

Agora dava para verbem que era uma mulher. Linda, loira e com um sorriso magnifico.

Ela quebra a algema e me leva para a margem.

Ela me coloca no chão e me beija por alguns momentos.Eu comecei a me sentir melhor.

Corri em direção a Mara mas seu corpo não se movia.

- Ela está morta!

- Ainda não! mas se quiser que ela viva, jamais será humana novamente.

- Por favor Salve-a!

- Farei isso mas ela jamais poderá colocar os pés na terra. Este lago será seu novo lar.

- Tudo bem Está certo leve-a então.

Novamente sinto os beijos daquela mulher e ela carrega Mara para a água.

Eu a vejo dar um beijo na Mara e afundar no lago.


3 meses depois...


Ando pela margem do lago e espero Mara aparecer.

Vejo ela e a mulher loira. Eu aceno e Mara se aproxima.

Nós nos beijamos e ela agradece as flores que trouxe.

Ela me beija novamente, olha para mim e sorri. eu pergunto se está bem e ela me abraça e me puxa para dentro do lago e eu começo a afundar e antes de eu dizer algo ela diz:


- É você que eu quero.



este conto é uma homenagem para a Denny Guinevere Du Coudray


abraços

Adriano Siqueira


3 comentários:

Malina disse...

Lindo!!!
A Denny merece mesmo!!
beijos á todos....

Denny Guinevere Du Coudray disse...

Adriando sem palavras para descrever a emoção que senti, um belo conto. Mas a razão de minha emoção será este belo conto com palavras maravilhosas ou por ter sido uma homenagem vindo de você?
Agradeço este maravilhoso conto, e agradeço o carinho de amigo que você tem para comigo.
Amigos são poucos, mas o que temos são eternos.

Obrigada meu anjo...

Eu Amei....

Beijos Cordiais

Lady Mila disse...

eu queria muito ter a coragem da Mara de fazer o qe pode para estar do lado de quem ama,mesmo que esse caminho leve a morte