sábado, 13 de setembro de 2008

A Noite é para os Amantes - por Adriano Siqueira

Estar naquela mesa ao lado dela acariciando os seus cabelos ao som do Whitesnake deixava um ar de prazer e satisfação. Me sentia um homem de sorte envolvendo-me em seus braços e abraços.
As vezes eu engasgava e algumas palavras não saiam. Mas era por causa do meu sentimento de querer mais, de possuir mais.
Eu sabia que nao podia ficar tão envolvido... Eu Sabia?... Não queria saber queria era mais e mais e não importava mais nada a não ser estar ali aproveitar cada segundo daquele momento tão extraordinário e inexquecível.
Cada um de nós tem a sua própria vida mas quando estamos juntos é como se as nossas vidas não importasse naquele momento.
Em cada beijo eu escutaca as cadeiras e mesas caindo, os sons de algumas pessoas gritando de dor po prazer não importava... Eu só tinha olhos para ela naquele momento.
Ela estava me falando de tudo do nosso passado as vezes coisas que a deixavam triste outras que a deixavam muito feliz por lembrar. Mas o importante é que eu queria que aquela noite fosse a melhor de todas.
Os homens e mulheres estávam jogados no chão, o banquete de sangue era tão intenso que cheguei a ficar com água na boca... mas era também por causa dos seus beijos. Beijos que me tocavam a alma. Senti novamente o toque do amor. ó ela conseguia fazer isso. Tocar em mim... Por dentro. Uma magia que só ela sabia como fazer.
Sinto o sangue de todos naquela bar... O cheiro me enchia de prazer.
Um dos garçons que limpava a sua boca do sangue dos fregueses se aproximou e anunciou:
- Lord, o banquete está servido!
Eu agradeci e ela, sorrindo disse:
- E a banda que toca?
- Vamos poupá-los! Afinal... Eles tocam rock and roll.

3 comentários:

Lady Mila disse...

Deve ter sido uma noite fascinante, que só dois corações apaixonados conseguirima sentir. Parabénspelo conto que expressa o amor na sua real força sublime

Denny Guinevere Du Coudray disse...

Adorei o conto. A forma que se expressa é incrivel... Tem um dom fascinante.

Continue assim Lord, pois conseguira alcançar varios coraçao desiludidos com seus contos maravilhosos...

Beijos

nelson_magrini disse...

Sutil toque de humor, adorei o fim. He he, afinal, quem disse que o Rock NÃO salva?

Parabéns, Adriano!